sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Scania LK/LKS 140 o Carga Pesada


  Nem só de carros vive um entusiasta, espero me aprofundar nesse assunto em um texto sem previsão para ser postado, tenho várias ideias, mas ainda preciso filtrar muita coisa para não falar besteira na hora da empolgação. Mas sim, caminhões são maquinas tão fantásticas quanto os carros (não as únicas). Falar de caminhão no Brasil nos faz lembrar de marcas tradicionais, entre as quais encontramos a Scania, uma marca que tem admiração mesmo de quem sequer está ligado com o mundo dos transportes ou mesmo dos motores.
Scania Latin-America unidade SBC.
  Antes de tudo devemos conhecer um pouco sobre a marca, funda em Mälmo na Suécia no ano de 1900, tinha o nome de Maskinsfabriks AB Scania, Scania é a denominação latina para a província sueca de Skane. Em 1911, uniu-se com a VABIS, outra fabricante do ramo automobilístico, em 1965 uma nova união, dessa vez com a Saab, fusão desfeita em 1995. Em 2008, o grupo Volkswagen passou a ser controlar a marca, quando obteve 68,60% de seu capital. Além de caminhões, a Scania fabrica chassis para ônibus, motores marítimos e motores estacionários para diversas aplicações.
L75 na cor azul, o primeiro caminhão nacional da marca.
  No ano de 1957 a Scania fundou sua primeira fabrica fora da Suécia, o mercado escolhido foi a América Latina, ficando o Brasil como a primeira filial externa da marca, no início os caminhões vinham desmontados da Suécia e eram montados na mesma fábrica onde funcionava a DKW-Vemague. O primeiro caminhão da marca com motor fabricado no Brasil surgiria no ano de 1958, o modelo L75 que diferenciavam dos modelos importados pela cor azul claro, cinza nas unidade suecas. Em 1962 a fábrica era transferida para São Bernardo do Campo, e no ano seguinte passou a ser fabricado o L76 na cor laranja que por muito tempo foi marca registrada da Scania nas estradas brasileiras.
  Em 1974 era lançado o LK 140, o primeiro caminhão de cabine avançada da marca no Brasil. Seu design composto por linhas retas, esbanjavam robustez, na grade dianteira vinham as identificações 140 do lado esquerdo e V8 no lado esquerdo, o que sempre despertou em muitos entusiastas automotivos e outros nem tão ligados a esse universo. O LK era o único modelo disponível no mercado brasileiro com o motor V8 de 14 litros, sendo a configuração do chassi 4x2, já os 6x2 recebiam a denominação LKS, o motor entregava 350 cv de potência, uma das mais altas para sua época. Quem já dirigiu um caminhão desses, diz que o motor V8 requer certa atenção, como por exemplo não abusar do giro e não descuidar da manutenção.
Cena do seriado Carga Pesado, Stenio Garcia (Bino) na porta e Antonio Fagundes (Pedro) ao lado do LK.
  O LK ficou muito conhecido e eternizado no Brasil pelo seriado da Rede Globo Carga Pesada, onde Pedro e Bino, Antonio Fagundes e Stenio Garcia, eram 2 caminhoneiros que viviam as aventuras da estrada, exibida entre os anos de 1979 e 1981, a série original contava com 54 episódios e era exibida às terças feiras na faixa das 22 horas. Entre 2003 e 2007 a série foi refilmada, mantendo os mesmos atores, porém dessa vez o Scania laranja já não era mais o caminhão da dupla.

Um comentário:

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...