sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Volkswagen Passat GTS Pointer.


  No ano de 1974, era lançado no Brasil o Passat, primeiro carro da Volkswagen no Brasil com motor de arrefecimento liquido, o que causou uma enorme dúvida sobre o sucesso do carro e, acarretou uma enorme mudança nas oficinas autorizadas, já que o motor era completamente diferente do boxer arrefecido à ar até então padrão da VW brasileira. O Passat era um carro controverso no início, muitos o chamavam de anti-VW, outros achavam que o carro ficaria pouco tempo no mercado, porém, aos poucos a qualidade do conjunto foi conquistando um público cada vez maior. Além do bom espaço interno, o Passat se destacava frente aos demais carros da marca pelo bom desempenho do motor, pelo silêncio e pelo espaço interno.
  O Passat fabricado no Brasil mais lembrado pelo público sem dúvidas é o GTS Pointer, o modelo faz parte da segunda reestilização do modelo lançada em 1983, o GTS era lançado no ano seguinte e substituía o TS. O GTS trazia os faróis quadrados duplos comuns de toda linha Passat, os para-choques ainda eram de aço cromado com polainas de plástico e, no modelo esportivo um spoiler dianteiro preto davam o o diferencial ao carro. O motor escolhido para a versão, era o 1.8 do Santana e utilizava o mesmo comando esportivo do Gol GT, o 049G importado da Alemanha que equipava também a versão esportiva, GTI, do Golf.
Passat GTS 1983.
  Outros diferenciais da versão esportiva eram as rodas de liga-leve em 14 polegadas, conhecidas atualmente como snow flakes por lembrarem o formato de desenhos de flocos de neve, os pneus eram 185/60 HR 14, vidros verdes e para-brisa degradê, encosto de cabeça nos bancos traseiros que contavam ainda com descanso de braço, bancos dianteiros Recaro, teto solar opcional, o volante era o famoso 4 bolas, cobiçado por muito tempo por fans da marca, era o mesmo utilizado no Golf GTI. Em novembro de 1984, a versão passava oficialmente a se chamar GTS Pointer após a alteração na nomenclatura das versões.
Interior do Passat GTS pré 1985.
  O ano de 1985, trazia boas novidades para o GTS Pointer, começando pela parte externa, os para-choques passavam a ser envolventes, fabricados em plástico injetado, chegaria 2 anos depois ao restante da linha arrefecida à água, as lanternas traseiras passaram a ser frisadas e, no interior o painel era remodelado, seguindo as linhas elegantes do Santana, contava também com voltímetro e manômetro de temperatura de óleo no console central.
Painel inspirado no Santana com voltímetro e termômetro de óleo.
  A mecânica também recebia boas novidades, o cambio passava a ter 5 marchas, o que oferecia um melhor aproveitamento do também novo motor AP-800S de 1,8 litro, o motor com bielas mais longas, havia sido adotado no ano anterior no Santana e no Gol GT, o funcionamento era mais suave e no caso dos modelos esportivos contavam com o comando alemão de maior graduação. A potência declarada era 99 cv, dizem ser mais, pois na época a alíquota do IPI era cobrada sobre a potência do motor, o desempenho do GTS Pointer era muito bom para época acelerando até os 100 km/h em 11 segundos e com velocidade máxima de 175 km/h. O Passat que vendia muito bem no início dos anos 80, já não iam muito bem, além dos concorrentes mais modernos como o Monza, havia ainda uma concorrência dentro de casa com o Gol, em 1988, era fabricado o último Passat no Brasil, deixando muita saudade e uma legião de fans do modelo.
Lanterna traseira frisada e para-choques envolventes a partir de 1985.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...