quarta-feira, 25 de março de 2015

Peugeot 208


  No mercado brasileiro ainda existe um certo preconceito contra carros de montadoras francesas, mas cada vez mais vemos carros dessa origem rodando por nossas ruas. A engenharia alemã é sinônimo de frieza, precisão e funcionalidade, os franceses preferem o romantismo de formas inovadoras, e a inovação, mesmo que em sacrifício da funcionalidade, para muitos o design dos carros franceses é muito feminino, mas em sua maioria são carros esplendidos, afinal da terra de Matisse, Monet e Cézanne, nada mais justo do que carros que são verdadeiras obras de artes minimalistas em cada detalhe.
Peugeot 201, lançado em uma ano complicado para a economia mundial: 1929.
  A série 2 da Peugeot teve início em 1929, com o 201 que foi apresentado no Paris Motor Show do mesmo ano, ano complicado esse que dizimou muitas montadoras europeias após a quebra da Bolsa de Nova York. Em 1938, foi lançado o 202, apresentado um ano antes também no Paris Motor Show, sua característica mais marcante eram os faróis escondidos atrás da grade do motor em posição centralizada e não nas extremidades da carroceria.
Peugeot 202 e sua dianteira inconfundível.
  O 203 foi o primeiro projeto da Peugeot no Pós Guerra, exposto no Paris Motor Show de 1947, ganhou as ruas no ano seguinte, fez tanto sucesso que ficou em linha até o ano de 1960, ele era um classificado como médio, porém ainda pertencia a série 2 da marca. O Peugeot 204 chegava ao mercado em 1965, seu design tinha assinatura de Battista Pininfarina, o que dispensa explicações sobre o seu design marcante e único.
Peugeot 204, obra de Pininfarina.
  Conhecido também no Brasil, algumas unidades foram importadas para cá e marcam o início da série 2 no país, é o 205 que foi produzido entre 1983 e 1998, o ponto máximo desse modelo eram os seus modelos esportivos como o GTi e o T16, esse último um carro de Rally que ganhou uma versão de homologação para as ruas. Foi com o 206 que a Peugeot se firmou no Brasil, seu design moderno que tarda a envelhecer cativou grande parte do consumidor nacional. Chegou ao Brasil em 1999, e em 2003 ganhava fabricação nacional, atitude crucial para o modelo no país. Por aqui o 207 era uma versão reestilizada do 206, a montadora alegava alto custo de produção do 207 europeu no país e o preço final do produto não seria compatível com sua categoria.
Peugeot 207, o que tivemos no Brasil era apenas um 206 maquiado.
  Em 2012, a Peugeot lançou o 208, diferente do 207, ele demonstra uma grande evolução, seja em design ou mecânica. Sua dianteira conta com linhas agressivas, a lateral tem vincos suaves porém marcantes que junto ao gráfico das janelas formam um belo visual ao modelo, na traseira lanternas com desenho ousado que invadem a lateral, um belo carro. Por dentro a beleza se repete com um belo acabamento e cluster em posição elevada que facilita muito a leitura dos instrumentos. No Brasil é disponibilizada apenas a carroceria de 5 portas, conta com 2 opções de motorização, sendo a primeira delas uma unidade de 1,5 litro 16 válvulas que gera a potência máxima de 93 cv quando abastecido com etanol e, o motor 1,6 litro também de 16 válvulas que gera 122 cv também quando abastecido com o combustível vegetal. Existem ainda rumores da vinda da versão GTi, mas essa não contara no brasil com a bela carroceria de 3 portas.
Peugeot 208 GTI na bela carroceria de 3 portas que não temos no Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...