quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Chevrolet Impala 1959


  O Chevrolet Impala era introduzido em 1958 como modelo 1959, ele subtituiu de forma direta o Bel Air como topo de linha da marca na época. A linha Chevrolet era composta pelos modelos Bicayne, Del Ray, Bel Air e nesse ano/modelo o Impala. O estilo da linha 1959 antecipava o estilo dos carros da década seguinte: maior comprimento, maior largura e menor altura, um Bel Air 1957 por exemplo ficava pequeno frente a esses novos gigantes.
Impala 1958, 3 lanternas de cada lado.
  O carro era pesado, portanto precisava de motores com um bom torque para tira-ló da inércia e as escolhas foram: V8 348 de 5,7 litros, esse motor foi originalmente concebido para utilitários da General Motors e desenvolvia a potência de 250cv, já na Turbo-Trhust que vinha equipada com 3 carburadores de corpo duplo eram entregues 280cv. Outra opção de motorização era o Turbo-Fire de 283pol³ (4,6 litros), um V8 que contava com injeção mecânica de combustível Rochester. Na versões mais simples era utilizado o motor Blue-Frame de 235pol³, o mesmo usado no primeiro Corvette e anterior ao utilizado no Opala apesar de deslocar 3,8 litros, ele contava com virabrequim apoiado em 4 mancais, o que chegou ao Brasil já contava com 7.
Motor Turbo-Trhust e seus 3 carburadores duplos.
  O Impala era assinado por Harley Earl e Bill Mitchell, o idela de ambos era cria um carro com desempenho digno de um esportivo, com comodidades não oferecidas pela concorrência e com o preço baixo que era tradicional da Chevrolet, os Fords do mesmo ano ficaram simples próximo do Chevrolet que só perdia em harmonia para o Plymouth Fury, carro do filme Christine, o Carro Assassino.
Plymouth Fury, único concorrente à altura.
  Dois pares de faróis, grade e para-choques envolventes, uma herança de Harley Earl traziada da Cadillac, o que rendeu o apelido Baby Cadillac ao Impala. O estilo esguio com terceiro volume maior que do Bel Air e seis lanternas traseiras, estilo que foi quebrado em 1959, nesse ano foram utilizadas as famosas olho de gato. Para reduzir a altura do Impala, a Chevrolet passava a utilizar um chassi com esquema em X, mas rígido do que o antigo de longarinas longitudinais e transversais, a suspensão passa a usar molas helicoidais, mais confortáveis que as semi-elípticas, além de trabalharem de maneira mais silenciosa. Em 1959, o Impala era emancipado e não era mais um modelo da família Bel Air, mas uma linha de sucesso que contava com cupê, sedan e perua.
Impala 1959, traseira icônica, o único ano que foram abandonadas as seis lanternas, três de cada lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o assunto do blog não serão publicadas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...